Agritrop
Home

Diversidade genética de espécies do vírus das estrias da bananeira (BSV) na coleção de germoplasma da Embrapa Mandioca e Fruticultura

Brito Dalma, Pestana Camila, Pestana Katia, Amorim Vanusia B.O., Iskra Caruana Marie-Line, Chabannes Matthieu, Amorim Edson Perito, Fortes Ferreira Claudia. 2016. Diversidade genética de espécies do vírus das estrias da bananeira (BSV) na coleção de germoplasma da Embrapa Mandioca e Fruticultura. . EMBRAPA. Cruz das Almas : EMBRAPA, Résumé, 2 p. Jornada Cientifica EMBRAPA Mandioca e Fruticultura. 10, Cruz das Almas, Brésil, 22 August 2016/23 August 2016.

Paper without proceedings
[img] Published version - Portugais
Access restricted to CIRAD agents
Use under authorization by the author or CIRAD.
Chabannes-Caruana- ABS BSV - 10e Jornada Cientifica - EMBRAPA Mandioca e Fruticultura - Cruz das Almas-Bahia - 2016-08-22-23.pdf

Télécharger (291kB) | Request a copy

Abstract : O BSV é um vírus de DNA, apresenta partícula baciliforme não envelopada e possui a capacidade de integrar o seu DNA no genoma B da bananeira. Sendo assim, a depender das condições de estresse, o genoma do vírus pode ser ativado e o fato da bananeira ser propagada vegetativamente agrava ainda mais esse quadro, uma vez que a micropropagação pode causar estresse às plantas e com isso ativar as partículas endógenas do vírus, podendo levar ao aparecimento da doença. Os principais sintomas do BSV em Musa spp., são: estrias foliares cloróticas que evoluem para estrias necróticas, apodrecimento do pseudocaule, deformação dos frutos, diminuição do vigor da planta e da produção de frutos. A banana é uma das frutas mais consumidas no mundo, apresentando relevante papel sócio-econômico em inúmeros países tropicais. O Brasil difere do cenário mundial por concentrar sua produção em cultivares do subgrupo Prata, em especial a 'Prata-Anã' e 'Pacovan', genótipos triploides com genoma AAB. São comuns os relatos de sintomas de BSV em bananais que fazem uso dessas cultivares, localizados nos principais polos de produção da fruta no Brasil, o que leva a concluir-se pela presença do vírus integrado ao genoma B ou a infecção local por vetores, em especial as cochonilhas. Para o agronegócio brasileiro da banana é fundamental o uso de cultivares livres de sequencias completas do vírus integrado no genoma B, demanda que pode ser atendida por meio do melhoramento genético baseado em cruzamentos e seleção nas progênies. Portanto, é de suma importância ter-se disponível ferramentas moleculares capazes de identificar partículas virais com potencial de causar doença no germoplasma de banana brasileiro, para subsidiar a seleção de parentais livres do BSV para uso em cruzamentos. Com base nisso, o objetivo desse trabalho foi avaliar a diversidade genética das espécies de BSV presentes em acessos de banana mantidos no banco ativo de germoplasma da Embrapa Mandioca e Fruticultura, localizado em Cruz das Almas (BA), utilizando primers espécies-especificos desenvolvidos pelo Centro de cooperação internacional em pesquisa agronômica para o desenvolvimento (CIRAD). Foram analisados 303 acessos para detecção de três espécies de virus (BSGFV-Goldfinger, BSOLV-Obino L´Ewai e BSIMV-Imové), dos quais 141 acessos demonstraram resultados positivo para a existência de integrações virais em seus genomas, o que corresponde a 46% do germoplasma avaliado. Todos os acessos das espécies selvagens de bananeira e aqueles com apenas o genoma A foram negativos; resultado que corrobora com a literatura internacional que vincula a integração do vírus apenas ao genoma B. As espécies virais mais frequentes na coleção de germoplasma foram BSOLV e BSGFV, com 43% e 41%, respectivamente. Além dos primers especies-especificos foram utilizadas enzimas de restricões para detectar quais acessos com genoma B apresentam alelos virais infectivos ou não infectivos. Os resultados destas análises demonstraram que os acessos com genoma BB estão livres do alelo infectivo. Estes genótipos tem potencial de uso em cruzamentos, em especial com autotetraploides com background genético similar as cultivares de banana do subgrupo Prata e de plátanos desenvolvidos pela Embrapa Mandioca e Fruticultura. Além disso, estas analises confirmaram que todas as cultivares desenvolvidas pelo programa de melhoramento genético de banana da Embrapa Mandioca e Fruticultura, por meio da hibridação, estão livres de alelos infectivos de BSV, fato de suma importância para o agronegócio de banana brasileiro. (Résumé d'auteur)

Mots-clés libres : Banana streak virus

Classification Agris : H20 - Plant diseases

Auteurs et affiliations

  • Brito Dalma, UFRB (BRA)
  • Pestana Camila, UEFS (BRA)
  • Pestana Katia, EMBRAPA (BRA)
  • Amorim Vanusia B.O., EMBRAPA (BRA)
  • Iskra Caruana Marie-Line, CIRAD-BIOS-UMR BGPI (FRA) ORCID: 0000-0003-4486-2449
  • Chabannes Matthieu, CIRAD-BIOS-UMR BGPI (FRA) ORCID: 0000-0001-5754-5982
  • Amorim Edson Perito, EMBRAPA (BRA)
  • Fortes Ferreira Claudia, EMBRAPA (BRA)

Source : Cirad-Agritrop (https://agritrop.cirad.fr/581760/)

View Item (staff only) View Item (staff only)

[ Page générée et mise en cache le 2019-10-01 ]