Agritrop
Home

Tamanho amostral de plantas em parcelas de algodoeiro na avaliação da severidade da mancha de ramulária

Da Silva Filho João Luís, Dias Suassuna Nelson, De Lelis Morello Camilo, Giband Marc, Silva Alvarenga Luis Gabriel. 2019. Tamanho amostral de plantas em parcelas de algodoeiro na avaliação da severidade da mancha de ramulária. In : 12° Congresso Brasileiro do Algodão: Livro de resumos. ABRAPA, EMBRAPA. Goiânia : ABRAPA-EMBRAPA, Résumé, p. 181. Congresso Brasileiro do Algodão. 12, Goiânia, Brésil, 27 August 2019/29 August 2019.

Paper without proceedings
[img]
Preview
Published version - Portugais
Use under authorization by the author or CIRAD.
ID593516.pdf

Télécharger (1MB) | Preview

Abstract : A mancha de ramulária, causada pelo fungo Ramularia areola é uma doença foliar de ocorrência generalizada no Cerrado Brasileiro comprometendo tanto a produtividade quanto a qualidade da fibra. O controle químico é a principal estratégia adotada pelos produtores para evitar perdas econômicas. Esforços na busca de cultivares geneticamente resistentes também são realizados e, nesse sentido, estudos sobre o controle genético do caráter e procedimentos experimentais adequados são de grande importância. Esse trabalho teve por objetivo avaliar diferentes tamanhos amostrais de plantas de algodoeiro, visando uma otimização experimental na avaliação da severidade da doença. Para isso, um cruzamento biparental com genitores contrastantes para severidade da doença, BRS 372 (resistente) e Coodetec 408 (susceptível) foi utilizado, com cruzamentos, autofecundação da geração F1, e 189 plantas F2 conduzidas em condições controladas em casa de vegetação e em cultivos subsequentes. As 189 progênies F2:3 foram conduzidas a campo na safra 2016/2017, em blocos aumentados de Federer, tendo por testemunhas as cultivares BRS 371 RF (resistente) e BRS 368 RF (susceptível). Utilizou-se uma escala de notas de 1 a 5 para se mensurar a severidade da doença, sendo o 1 correspondente a resposta fenotípica completamente resistente e o 5 a susceptibilidade completa. Aos 116 dias, 20 plantas em cada parcela foram avaliadas individualmente conforme a escala de notas. A partir de uma rotina desenvolvida no programa R foram simulados tamanhos amostrais considerando 1, 2, 4, 6, 8, 10, 12, 14, 16 e 18 plantas por parcela, realizando-se mil simulações para cada um deles, em que as plantas eram tomadas aletoriamente em cada parcela em cada simulação, conforme o tamanho amostral desejado. O valor da severidade em cada parcela foi assumido como a média dos valores dos escores das plantas amostradas em cada simulação. Os efeitos de blocos e progênies foram assumidos como aleatórios. Em cada simulação foram obtidas estimativas dos seguintes parâmetros: média, variância genética (VG), variância do erro (VE), variância de blocos, herdabilidade ao nível de parcela (h2). Para cada tamanho amostral foram tomadas estatísticas descritivas das estimativas dos parâmetros considerando as mil simulações: média, mediana, desvio padrão, quantis 2,5% - q(2,5%) - e 97,5% - q(97,5%), esses dois últimos como os limites bilaterais para 95% dos valores reamostrados. Em todos os tamanhos amostrais o escore médio das simulações foi de 2,2, com pouca variação. Para a VG os valores médios também foram similares, variando de 0,30, com uma planta, à 0,34 para amostragens superiores a 12 plantas; contudo os q(2,5%) e q(97,5%) foram 0,17 e 0,44 com uma planta por amostra, e 0,33 e 0,35 para 18 plantas por parcela, indicando como esperado aumento na precisão da estimativa com o aumento do número de plantas. A VE e a h2 foram os parâmetros mais afetados pelo tamanho amostral. A h2 de referência, quando todas as plantas avaliadas foram consideradas na análise, foi 0,69 e 0,37 quando 1 planta foi amostrada; com 6 plantas amostradas foi de 0,62, com q(2,5%) e q(97,5%) iguais a 0,53 e 0,70. Os valores de q(97,5%) para a h2 foram idênticos para tamanhos amostrais superiores a 6 plantas/parcela. Considerando-se todas as informações, recomenda-se o uso de pelo menos 6 planta/parcela para uma avaliação segura da severidade de ramulária.

Mots-clés libres : Resistência a doenças, Parâmetros genéticos, Gossypium hirsutum

Auteurs et affiliations

  • Da Silva Filho João Luís, EMBRAPA (BRA)
  • Dias Suassuna Nelson, EMBRAPA (BRA)
  • De Lelis Morello Camilo, EMBRAPA (BRA)
  • Giband Marc, CIRAD-BIOS-UMR AGAP (FRA)
  • Silva Alvarenga Luis Gabriel, UFG (BRA)

Source : Cirad-Agritrop (https://agritrop.cirad.fr/593516/)

View Item (staff only) View Item (staff only)

[ Page générée et mise en cache le 2019-10-01 ]